sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Por vezes gostava de não ser tão apática.

Não sei que mais dizer.
Esta situação devia magoar-me, devia fazer-me querer chorar, devia fazer-me querer desabafar com alguém.
Eu devia estar preocupada, ou com medo, ou qualquer coisa que não simplesmente à espera.

À espera que alguém faça qualquer coisa (porque eu não posso, porque não me compete). Sem qualquer sentimento que não o de exaustão, o de exasperação. O de eu-já-não-tenho-paciência-para-aturar-isto.

Não sei mesmo que mais dizer, devia ter linhas e linhas de queixumes e não tenho nenhuma. Só gostava que esta situação acabasse, não digo que se resolvesse; que acabasse mesmo. De qualquer maneira possível.

De qualquer maneira mesmo.

Porque não me compete a mim decidir o que é melhor. Para dizer a verdade não sei que opinião tenho, não sei o que prefiro. A cada um a sua vida e as suas decisões, não faço parte da situação - simplesmente vivo com ela e terei de arcar com as consequências. Mas não é a minha felicidade que está em risco e (admito com vergonha) duvido que esta fosse ficar afectada por qualquer possível resolução desta situação.

Mas que estou a ficar farta, não de ouvir, mas de saber que as coisas continuam como estão. E estou a ficar farta de ter a certeza que ninguém vai fazer nada quanto a isso.



Hoje foi um dia triste. Amanhã vai ser pior e Sábado ainda pior.
E entristece-me ainda mais que este não seja o problema principal.




Tio, só o vi uma vez na minha vida, e era demasiado pequena para me lembrar de uma palavra sequer que me tenha dito. Mas ouvi falar de si e lembro-me de como era, lembro-me de o ouvir rir. A minha avó gostava muito de si e a minha mãe também. Gostava de o ter ido ver ao hospital mas não tive oportunidade e não tive a iniciativa de sair de onde quer que estivesse e meter-me num táxi e ir. Sinto-me culpada e peço desculpa, peço mesmo muitas desculpas. Alivia-me pelo menos saber que já não está a sofrer e que está, possivelmente, num lugar muito melhor que qualquer um de nós.
Espero que o tempo que tenha passado cá tenha sido feliz e que possa olhar para trás e dizer que valeu a pena, porque no fim de contas é isso que importa.


Teremos todos muitas saudades.


2 comentários:

yunie-sigh disse...

Sabes que vou estar sempre aqui para o que quiseres desabafar, quer seja um dia mau para mim ou bom, amigos servem para isso e nada mais, eu sei que a situação é complicada e nada se pode fazer mas só que se falar te ajudar de uma maneira atão vomita-me tudo o que te passar pela alma and i do mean it sweety <3

Mafalda disse...

=,) bonito texto. Nao te sintas culpada ines, acredita... Nao tens culpa mesmo... Nao te sintas assim, nao mereces